comunicação

Notícias

25 de agosto de 2017

Ônibus perde 3
milhões de passageiros por dia

Ônibus perde 3

Três milhões de passageiros por dia deixaram de utilizar os ônibus urbanos nos deslocamentos realizados em 2016, segundo levantamento anual sobre o desempenho do setor, feito pela Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU). O estudo registra redução média de 8,2% em relação ao ano de 2015, com base na análise consolidada dos dados de abril e outubro.Nos últimos três anos, o nível da queda de passageiros atingiu 18,1%. Os dados são baseados em nove das principais capitais brasileiras (Belo Horizonte, Curitiba, Fortaleza, Goiânia, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo), que concentram 37% da demanda transportada no Brasil.

Em 2016, a quantidade de passageiros transportados diariamente por veículo caiu 4,6% comparativamente com o ano de 2015. Igualmente à série histórica de demanda de passageiros transportados, nos últimos três anos (2013-2016) esse indicador destaca-se por apresentar níveis anuais mais intensos de diminuição, similares aos resultantes no início da coleta de dados. Nos 24 anos de acompanhamento, a redução total do carregamento diário por veículo para o mês de outubro é de 46,3%.

O levantamento aponta a crise econômica do país e o desemprego como os principais vilões da tendência acentuada de redução de passageiros. "Certamente, são fatores que interferem na dinâmica da mobilidade urbana das cidades, mas temos que levar em conta também outras distorções do sistema de transporte urbano, como a falta de fontes de financiamento para a tarifa, hoje paga exclusivamente pelo usuário", avalia Otávio Cunha, presidente executivo da NTU.

Fonte: NTU

Compartilhe esta notícia

últimas notícias

15 de fevereiro de 2018

2018: ano de investir no transporte

Entrevista do presidente da CNT, Clésio Andrade

08 de fevereiro de 2018

Simulador de financiamento da CNT

facilita compra de ônibus

06 de fevereiro de 2018

Fetronor realiza mais de180 mil aferições do Despoluir em 2017

Federação está entre as primeiras do Brasil, segundo CNT/Sest Senat

MAIS NOTÍCIAS