comunicação

Notícias

05 de dezembro de 2013

20º Prêmio CNT de Jornalismo
Cerimônia em Brasília, distribuiu R$ 90 mil aos vencedores

20º Prêmio CNT de Jornalismo

Na noite desta quarta-feira (04), a Confederação Nacional do Transporte (CNT) reuniu, em Brasília, centenas de comunicadores e personalidades de todo o país no maior evento em reconhecimento às melhores reportagens sobre transporte no Brasil. Em sua 20ª edição, o Prêmio CNT de Jornalismo concedeu R$ 90 mil em prêmios divididos em sete categorias (grande prêmio, televisão, impresso, rádio, internet, fotografia e meio ambiente). Todas as matérias selecionadas foram divulgadas durante este ano em suas respectivas mídias.

De acordo com o presidente da Confederação Nacional do Transporte (CNT), senador Clésio Andrade, o Prêmio de Jornalismo é importante porque prestigia e estimula a produção de trabalhos jornalísticos que informam à sociedade o papel fundamental do setor de transporte para o desenvolvimento econômico, social, político, cultural e ambiental do país. Os jornalistas Catia Rejane Leite Seabra, Julianna Sofia, Dimmi Amora e Flávio Ferreira, do jornal Folha de S. Paulo, sucursal de Brasília (DF), foram os vencedores do Grande Prêmio CNT de Jornalismo 2013 com a série “Fora dos trilhos: as revelações do cartel ferroviário no Brasil”. Eles receberam prêmio em dinheiro no valor de R$ 30 mil.

A reportagem trouxe a público a lista inédita das cinco empresas – Siemens, Alston, CAF, Mitsui e Bombardier – envolvidas no cartel e detalhou como funcionava o esquema de corrupção na contratação de empresas que atuam no transporte ferroviário em São Paulo e no Distrito Federal. Segundo a repórter Julianna Sofia, todo jornalista deseja ter sua reportagem publicada na primeira página do jornal. “Isso já é um grande reconhecimento do esforço do nosso trabalho, agora ganhar um prêmio é ainda melhor. A gente se sente ainda mais motivado para continuar”, revelou. Os vencedores das demais categorias receberam o prêmio em dinheiro no valor de R$ 10 mil. 

Televisão

Com a série de reportagens “Brasil: quem paga é você”, veiculada no programa Fantástico, os jornalistas André Modenesi, Sônia Bridi, Paulo Zero, Ana Pessoa, Tiago Ornaghi, André Alaniz, Bernardo Medeiros, Gustavo Visconti, da TV Globo, Rio de Janeiro (RJ), foram os ganhadores. As cinco reportagens revelaram a falta de projetos para a execução de obras de infraestrutura do Brasil.
Para o editor da série, Tiago Ornaghi, os prêmios setoriais são sempre muito importantes porque são concedidos por quem realmente entende do assunto, sem fazer propaganda para essa ou aquela empresa. “O nosso prêmio diário é a medição da audiência dos nossos jornais, mas ser reconhecido por quem é da área aumenta ainda mais a nossa satisfação”, conta.

Impresso

Os jornalistas Henrique Gomes Batista e Daniele Nogueira, do jornal O Globo, Rio de Janeiro (RJ), foram os vencedores com a série de reportagens “Celeiro em xeque”, que retratou o caos logístico que o país vive para escoar sua safra. Os repórteres percorreram, em três dias, 2.450 km na boleia de um caminhão, entre Sinop, no Mato Grosso (principal estado produtor de soja) e o Porto de Paranaguá, no Paraná.
Henrique Gomes Batista conta que ficou muito feliz com a conquista deste ano porque o nível das reportagens era muito alto. “O transporte está cada vez mais sendo discutido no Brasil e isso aumenta o número de trabalhos jornalísticos com esse tema. Por isso, acredito que a concorrência cresce a cada ano”, afirma. O repórter foi vencedor do Grande Prêmio do ano passado com a série de reportagens “O Brasil que não viaja de avião.”

Rádio

Os jornalistas Giane Heidrich Guerra e Cid Martins, da Rádio Gaúcha, de Porto Alegre (RS), ganharam com a série de reportagens “Roubo de Cargas: mais um custo Brasil”. O material fez um levantamento exclusivo da polícia sobre o crime nos últimos três anos no Rio Grande do Sul, mostrou o prejuízo disso para o estado e o quanto o consumidor gaúcho para a mais por produtos devido aos delitos.
Para Cid Martins, a visibilidade que o prêmio traz vai além do reconhecimento profissional como jornalista. “O prêmio da CNT é muito importante não só por reconhecer, mas por permitir divulgar o nosso trabalho. Como ele é nacional, muita gente acaba tendo acesso ao que produzimos”, explica. Este é o quinto ano que o jornalista vence na categoria Rádio.

Internet

A jornalista Ana Cláudia Dolores Meneses Bezerra, do site Diário de Pernambuco, em Recife (PE), venceu com a série “Cidades possíveis”. Por meio de um hotsite especial e com conteúdo multimídia, o trabalho faz uma análise de como as cidades colombianas de Bogotá e Medellín conseguiram superar desafios urbanos (por exemplo, mobilidade) a ponto de se tornarem referências para a América Latina. As duas realidades foram comparadas com a do Recife, que hoje enfrenta problemas já vencidos por essas cidades.
Para Ana Cláudia, ganhar o Prêmio é mais do que se realizar profissionalmente. “É gratificante saber que o esforço de mais de um mês de trabalho, entre a viagem para produzir a reportagem e a edição de todo o material, foi reconhecido e venceu um prêmio como o da CNT”, conta.

Fotografia

O fotógrafo JB venceu com a imagem “Violência no trânsito”, publicada na matéria “Condutor saca pistola e atira contra carro de reportagem”, no jornal O Tempo, de Belo Horizonte (MG). A imagem foi realizada quando a equipe voltava de uma pauta e, ao seguir pela avenida Cristiano Machado, o carro de reportagem foi impedido de seguir devido à imprudência de outro condutor. A fotografia foi feita no momento em que este motorista apontou a arma para o fotógrafo.
Para JB, vencer o prêmio foi uma surpresa muito grande. “Fiquei bastante satisfeito em saber que o meu trabalho foi reconhecido e que ele pode servir de alerta para o que acontece hoje nas ruas das nossas cidades”, confessa. O nome do repórter fotográfico foi omitido por orientação da polícia por razões de segurança.

Meio ambiente

Os jornalistas Klara Lavinas Raunheitti Duccini, André Trigueiro, Aline Peres, Marcus Vinicius, Vladimir Ribeiro, Carlito Chagas e Renato Ferreira, da Globo News, Rio de Janeiro (RJ), foram os vencedores com a matéria “Aeromóvel”, veiculada no programa “Cidades e soluções”. O programa acompanhou, com exclusividade, a linha de montagem do Aeromóvel, um transporte público de massa, com tecnologia nacional, que começou a circular este ano em Porto Alegre (RS), que se desloca sem emissão de ruídos ou poluentes.
Para Aline Peres, ganhar o prêmio é muito emocionante. “Ficamos muito felizes com essa conquista porque conseguimos ver que está tendo mesmo uma preocupação maior com o meio ambiente e as nossas cidades”, explica. Ela acrescenta que o trabalho permite mostrar o lado bom apesar dos problemas, que soluções existem e como isso pode melhorar a vida das pessoas.

Ana Rita Gondim

Livia Cerezoli

Agência CNT de Notícias

Compartilhe esta notícia

últimas notícias

03 de junho de 2020

Falta ampliação do Sistema de Transporte

da Região Metropolitana do Recife

03 de junho de 2020

Crise atinge montadoras de ônibus

Vendas de ônibus novos sofrem queda de 37%

03 de junho de 2020

Novo decreto de isolamento na Paraíba

impõe medidas mais rigidas até o dia 14

MAIS NOTÍCIAS