comunicação

Notícias

08 de novembro de 2012

CNT e Sest Senat aderem ao Pacto Nacional pela Redução de Acidentes
Entidades assinaram ontem a adesão ao programa do Ministério das Cidades

CNT e Sest Senat aderem ao Pacto Nacional pela Redução de Acidentes

A meta é ousada. Reduzir em até 50% o número de acidentes fatais no mundo. Esse é o desafio estipulado pela Organização das Nações Unidas (ONU) para o período entre 2010 e 2020, batizado como a Década para Segurança Viária. No Brasil, o Ministério das Cidades desenvolveu o Pacto Nacional pela Redução de Acidentes (Parada) como resposta a essa resolução mundial. A Confederação Nacional do Transporte (CNT) e o Sest Senat, representantes do setor de transporte no país, aderiram oficialmente ao projeto, na última quarta-feira (7).

A diretora-geral do Sest Senat, Maria Tereza Pantoja, representou o presidente da CNT, senador Clésio Andrade, na solenidade de assinatura, que contou com a presença do ministro das Cidades, Agnaldo Ribeiro. Com a adesão, as entidades se comprometeram a conscientizar empresários e trabalhadores do transporte para a importância do trânsito seguro. O objetivo é atingir 1 milhão de pessoas durante o próximo ano, com uma série de ações que serão desenvolvidas pelas instituições.

“A parceria com a CNT e o Sest Senat vai possibilitar que mais pessoas conheçam o Pacto. Além de capacitar os profissionais do transporte, as famílias desses trabalhadores passam a difundir a campanha. Não só o motorista, mas cada pessoa passa a ser integrante do Pacto: o pedestre, o ciclista. O trânsito é uma grande ferramenta de exercício da cidadania e por isso a capilaridade do sistema Sest Senat e da CNT é tão importante”, destacou o ministro.

O presidente da Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU), Otávio Vieira Filho, também assinou a participação no Pacto. Além de atividades de conscientização dos motoristas, a associação comprometeu-se a disponibilizar espaços publicitários em parte dos ônibus urbanos para difusão da campanha. O vice-governador do Distrito Federal, Tadeu Filippelli, e o presidente da Frente Parlamentar em Defesa do Trânsito Seguro, deputado Hugo Leal, também participam do evento. O presidente da Fetronor, Eudo Laranjeiras, também esteve presente.

 

Números do setor
Caminhões e ônibus respondem por uma frota de 74.689.706 veículos no país. Deste total, 2.354.052 são caminhões, 508.175 ônibus e 313.667 microônibus. Apesar de representarem apenas 3,15% da frota nacional de veículos, os caminhões estiveram envolvidos em 34% dos acidentes ocorridos em 2011, conforme dados da Polícia Rodoviária Federal. No mesmo ano, os veículos de carga se envolveram em 66.274 acidentes, com foram responsáveis por 1.214 mortes nas rodovias federais.

 Agênica CNT Notícias

Compartilhe esta notícia

últimas notícias

29 de maio de 2020

Governo de Pernambuco anuncia plano para reabertura econômica

Retorno será gradual e deve respeitar orientações sanitárias

29 de maio de 2020

Prefeitura do Natal diz não ser necessário

adotar regime de lockdown no município

29 de maio de 2020

Desemprego no Brasil sobe para 12,6% em abril

e atinge 12,8 milhões, segundo IBGE

MAIS NOTÍCIAS