comunicação

Notícias

17 de novembro de 2020

EUA investem no
combustível de hidrogênio

EUA investem no

Matéria do jornal The New York Times (NYT) mostra como o uso do hidrogênio na mobilidade está muito perto de se tornar uma realidade nos Estados Unidos.

O jornal cita o estado da Califórnia, que já apresenta dezenas de ônibus a hidrogênio rodando pelas ruas das cidades, enquanto postos de abastecimento cada vez maiores estão surgindo de San Diego a San Francisco, financiados pelos governos estadual e federal.

A reportagem cita a redução dos custos de produção e transporte do gás, o que tem levado a Califórnia a estabelecer metas ambiciosas para eliminar os veículos movidos a combustíveis fósseis em favor de baterias e hidrogênio.

Grandes empresas automotivas e de energia, como Toyota Motor e Royal Dutch Shell, comprometeram-se a fornecer mais carros e postos de abastecimento”, diz o NYT.

Nos ciclos anteriores, sempre havia algo faltando”, disse Matthew Blieske, gerente global de produtos de hidrogênio da Shell. “Faltava uma política ou a tecnologia não estava totalmente pronta ou as pessoas não levavam muito a sério a descarbonização. Não vemos mais essas barreiras”, afirma o executivo ao jornal americano.

A expectativa de alguns executivos do setor de energia é que o investimento em hidrogênio seja acelerado sob a gestão do presidente eleito Joseph R. Biden Jr.

Biden fez da mudança climática parte importante de sua campanha e propôs um plano de US$ 2 trilhões para lidar com o problema, cerca de 11 trilhões de reais.

FUTURO DOS VEÍCULOS PESADOS

Toyota, Hyundai, Daimler e várias outras montadoras estão apostando em carros e caminhões a hidrogênio. E a Shell está construindo estações de hidrogênio na Europa e Califórnia.

O melhor uso para o hidrogênio, alguns especialistas argumentam, está no abastecimento de caminhões, ônibus e aviões.

Isso ocorre porque o combustível embala a energia em um pacote menor e mais leve do que a geração atual de baterias dos veículos elétricos, deixando mais espaço para carga e passageiros.

A Hyundai, por exemplo, está prestes a apresentar o primeiro caminhão a célula de combustível pesado produzido em massa nos próximos meses.

Já a Toyota, que tem testado células de combustível em caminhões no porto de Los Angeles desde 2017, recentemente disse que desenvolverá caminhões a hidrogênio para a América do Norte.

ECONOMIA

Um estudo recente da McKinsey & Company estimou que a economia do hidrogênio poderia gerar US$ 140 bilhões (R$ 740 bilhões) em receita anual até 2030 e produzir 700.000 empregos. O estudo projetou que o hidrogênio poderia atender 14 % da demanda total de energia americana em 2050.

 

Fonte: Diário do Transporte

Compartilhe esta notícia

últimas notícias

30 de novembro de 2020

Vencedores do Prêmio CNT de Jornalismo

serão conhecidos em live nesta terça-feira (1º)

27 de novembro de 2020

ITL e SEST SENAT inauguram turma

de Especialização em Gestão de Finanças

27 de novembro de 2020

Inflação prévia do setor de transportes

para novembro tem alta de 1%

MAIS NOTÍCIAS