comunicação

Notícias

04 de janeiro de 2017

Investimentos no
transporte geram economia

Investimentos no

Investimento em transporte é o melhor ajuste fiscal e também uma das mais importantes ações para o desenvolvimento social e econômico de todo o mundo. É o que revela estudo divulgado pela ONU – Organização das Nações Unidas, divulgado em outubro de 2016. Denominado Mobilização de Transporte Sustentável para o Desenvolvimento, o estudo elaborado por cientistas e técnicos ligados à ONU mostra que maior investimento em transportes verdes, eficientes e sustentáveis, além de ajudar a humanidade alcançar metas globais de redução de poluição e melhoria de qualidade de vida, pode proporcionar uma economia de US$ 70 trilhões até 2050.

Como consequência, também seria possível ampliar o PIB – Produto Interno Bruto global em US$ 2,6 trilhões. Para chegar a esse valor, os responsáveis pelo estudo levaram em consideração benefícios como economia de combustível, menos gastos operacionais, redução dos congestionamentos, menos poluição do ar e menores custos com saúde pública relacionados às emissões por automóveis, acidentes automobilísticos e ao estresse nas áreas urbanas. Os investimentos devem contemplar, segundo o estudo, toda a cadeia de transportes, tanto para carga como passageiros. Para isso, devem ser tomadas ações como modernização de portos marítimos e de água doce, aeroportos, distribuição de cargas mais eficiente, ampliação ferrovias para cargas e passageiros e também preferência para os ônibus e incentivos aos coletivos que adotam tecnologias menos poluentes. Exemplo que acompanhamos são trólebus, ônibus elétricos com bateria, a gás natural, biocombustíveis e outras fontes não dependentes exclusivamente de petróleo.

O estudo também recomenda que o financiamento internacional para os transportes sustentáveis deve aumentar, principalmente para implementar avaliação e monitoramento dos atuais sistemas e promover tecnologias de veículos menos poluentes. No entanto, o estudo ressalva que não bastam ônibus, carros e caminhões poluir menos. É também necessário modernizar a forma como são deslocadas as cargas e os passageiros, reforçando o conceito de deslocamento inteligente aproveitando melhor os recursos já existentes: programação de viagens, redes estruturadas de distribuição e corredores de transporte público de maior velocidade e capacidade estão inclusos nesta lógica, tais como os BRTs – Bus Rapid Transit, preferencialmente com ônibus menos poluentes.

A ONU também destaca dados que mostram a necessidade de investimentos nas redes de transportes, como o isolamento parcial de quase um bilhão de pessoas no mundo que não têm acesso a redes rodoviárias adequadas; o total de 1,2 milhão de pessoas que morrem por ano em acidente nas estradas; o desperdício de cerca de 15% dos alimentos produzidos por causa de problemas no processamento, transporte e armazenamento; e as emissões relacionadas à energia, o que inclui transportes, que contribuem para 3,5 milhões de mortes prematuras por ano e correspondem a 23% das emissões de gases de efeito estufa.

Fonte: Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes.

Compartilhe esta notícia

últimas notícias

15 de abril de 2021

Empresas estão na UTI

Artigo de Francisco Christovam, conselheiro da NTU

14 de abril de 2021

Motoristas e cobradores do Grande Recife pedem

prioridade na vacinação contra a Covid

14 de abril de 2021

Presidente da CNT tem reunião com Jair Bolsonaro

Encontro debateu questões de interesse do setor empresarial

MAIS NOTÍCIAS