comunicação

Notícias

21 de agosto de 2013

Metade das capitais não faz licitação de ônibus
Levantamento foi feito pelo Jornal O Globo

Metade das capitais não faz licitação de ônibus

RIO - O transporte urbano em metade das capitais do país não é licitado. Levantamento feito pelo O GLOBO em órgãos de Transportes nas 26 capitais e no Distrito Federal aponta que o setor que foi o pivô das manifestações de junho — iniciadas justamente pelo aumento da passagem de ônibus — continua, em metade das principais cidades, sendo operado por empresas que ganharam permissões e autorizações décadas atrás, mas que nunca passaram por uma licitação para regular o sistema.

Mesmo em muitas capitais que fizeram licitação — que permite que o poder público regule melhor o serviço e garanta seleção dos melhores preços —, o processo é recente. No Rio, a primeira licitação foi feita em 2010. As regiões Sul e Nordeste têm, cada uma, apenas uma capital com esse serviço licitado: Curitiba e João Pessoa. No Centro-Oeste, todas as capitais têm licitação. E, no Norte, há três com licitação. No Sudeste, todas as capitais têm licitação, exceto Vitória.

NATAL-RN

 Em Natal, o projeto para abertura do processo de licitação do transporte público segue parado.Para o presidente da Fetronor, Eudo Laranjeiras, o que ocorre é uma pequena confusão entre Executivo e Legislativo. “Me parece que está acontecendo uma pequena confusão neste processo, a prefeitura precisa apenas pedir autorização para fazer a licitação e não uma análise da câmara, o importante é que que saia essa licitação para debatermos e discutirmos todos os seus pontos”, disse Eudo que fez um alerta : “o grande problema é que o processo demanda tempo e ainda teremos pela frente a parte demagógica da questão”, completou.

Compartilhe esta notícia

últimas notícias

06 de julho de 2020

João Pessoa libera 60% da frota de ônibus

com até 12 passageiros em pé

06 de julho de 2020

Mais de 1 milhão de trabalhadores do transporte

foram imunizados na Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe

06 de julho de 2020

Transporte perde mais de 20 mil empregos

formais em maio, segundo análise da CNT

MAIS NOTÍCIAS