comunicação

Notícias

18 de julho de 2012

NATAL: Nova tarifa de ônibus à vista
A única alternativa para evitar o reajuste nas passagens, segundo a Seturn, é a redução ou isenção de impostos pagos pela categoria

NATAL: Nova tarifa de ônibus à vista

Os empresários do transporte público natalense voltarão a discutir a possibilidade de pedir aumento na tarifa dos ônibus. O Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Passageiros do Município do Natal (Seturn) solicitou às empresas a elaboração das planilhas de custos atuais e a avaliação do impacto causado pelo aumento no óleo diesel e reajuste no salário dos funcionários. A única alternativa para evitar o reajuste nas passagens, segundo a Seturn, é a redução ou isenção de impostos pagos pela categoria.

De acordo com o diretor de Comunicação do Seturn, Augusto Maranhão, a discussão sobre a proposta que deverá ser apresentada à Prefeitura do Natal seria iniciada ontem. Porém, uma nova reunião foi agendada para o dia 31 deste mês. O diretor antecipou que "algo deve ser feito". Segundo Maranhão, "do jeito que está, não podemos continuar. Com o aumento do diesel e o reajuste nos salários, ou aumenta a passagem ou a Prefeitura concede a isenção dos impostos", colocou.

O litro do óleo diesel ficou, em média, 4% mais caro nos postos desde ontem. O incremento é reflexo do reajuste de 6% no preço do diesel vendido pela Petrobras às refinarias, anunciado na última quinta-feira. Não é só o consumidor "comum", porém, que pagará mais pelo combustível. O Seturn calcula um aumento de pelo menos R$ 170 mil/mês nos custos das empresas, com o aumento do preço do diesel. O reajuste de 6,53% concedido aos motoristas e cobradores, em maio passado,  também será levado em consideração no debate acerca dos novos preços.

A frota natalense (total de 800 ônibus) consome, em média, 2,1 milhões de litros de óleo diesel por mês. Só a empresa Cidade de Natal, dirigida por Augusto Maranhão, considerada a menor em termos de frota, consome 200 mil litros por mês. Para cobrir os novos custos, a tarifa teria que ser reajustada em 2%, calcula Maranhão. Isso representaria um aumento na tarifa dos atuais R$ 2,20 para cerca de R$ 2,24 (considerando o valor cobrado em Natal). Segundo ele, se nenhuma medida for tomada, "o impacto será devastador". O óleo diesel representa, atualmente, 35% dos custos das empresas - mais de 1/3. 

O último reajuste na tarifa de ônibus foi concedido pela Prefeitura no dia 22 de janeiro de 2011. Na ocasião, o então prefeito em exercício Paulinho Freire autorizou um aumento de 10%. A tarifa de R$ 2 passou para R$ 2,20. Para tanto, o Executivo fez duas exigência ao Seturn: instalação de GPS em toda a frota de ônibus - assim, percurso, horário e freqüência das linhas de poderão ser monitorados - e a inclusão de mais 24 ônibus para atender os usuários. Segundo a Prefeitura, um novo reajuste só será concedido no próximo ano.

Compartilhe esta notícia

últimas notícias

18 de setembro de 2020

De que reforma tributária o transporte precisa?

Proposta de criação da CBS não é suficiente

18 de setembro de 2020

SEST SENAT realiza mobilização nacional

na Semana do Trânsito

17 de setembro de 2020

Setor de transporte começa a dar sinais de recuperação

Economista e representantes avaliam que o momento é de estabilidade

MAIS NOTÍCIAS