comunicação

Notícias

16 de maio de 2012

Recife terá transporte fluvial no rio Capibaribe
Cidade das pontes e rios, o Recife pretende fazer jus ao título de "Veneza brasileira"

Recife terá transporte fluvial no rio Capibaribe

Cidade das pontes e rios, o Recife pretende fazer jus ao título de "Veneza brasileira". O projeto de Navegabilidade do rio Capibaribe, que propõe a implantação de um sistema integrado de transporte de passageiros no Capibaribe, aprovado pelo PAC da Mobilidade, terá investimento de R$ 289 milhões. A proposta assemelha-se ao sistema de transporte público "Vaporetto", da Veneza italiana.


O projeto foi encomendado pela Secretaria das Cidades de Pernambuco à empresa Econor - Projetec e aguarda a liberação da verba do governo federal. A ideia foi apresentada durante seminário realizado ontem pelo Portal 2014 na capital pernambucana e aponta a perspectiva de navegação entre o centro do Recife e a futura Arena Pernambuco. Quanto à previsão para o lançamento da licitação, ou se o projeto vai estar totalmente implantado até a Copa do Mundo, as questões não foram respondidas pela Secretaria das Cidades à reportagem.


Rotas fluviais - Segundo o projeto, o corredor fluvial vai utilizar embarcações adequadas para o transporte de massa, que irão navegar por duas rotas, numa velocidade média de 18km/h. Na rota Oeste, os barcos vão passar por 11 km do rio Capibaribe e 2,9 km vão ser percorridos na rota Norte. 


Serão implantadas estações de embarque e desembarque de passageiros, interligadas com o sistema de transporte metropolitano atual. Isso vai possibilitar que o passageiro pague apenas uma tarifa de ida e outra de volta para utilizar qualquer um dos transportes do Sistema Estrutural Integrado (SEI), seja ônibus ou barco.


A Secretaria das Cidades não informou onde serão os pontos de paradas das embarcações, mas o jornal "Diário de Pernambuco", em sua edição de terça-feira (08/05), revelou esta informação através de mapa detalhado com todas as paradas. 

As embarcações serão climatizadas e acessíveis para pessoa com deficiência e cada uma delas irá transportar até 86 passageiros sentados. O novo sistema deve atender cerca de 80 mil passageiros por mês. 
Para o ex-presidente do Sinaenco-PE e professor da UFPE (Universidade Federal de Pernambuco), Maurício Andrade, apesar das paradas de embarque e desembarque serem mais lentas do que de um ônibus, o projeto do corredor fluvial pode diminuir o problema do trânsito no Recife.


"Não vi os estudos que embasaram o projeto, mas acho que tudo o que for feito para diminuir o problema de trânsito é válido. Para uma cidade congestionada como Recife, esse projeto pode se tornar um eixo de transporte que supera esta questão do congestionamento". 


Na avaliação dele, a velocidade média dos barcos é satisfatória. "Os ônibus do Recife andam a 10km/h, em média. O trânsito não permite que eles sejam mais rápidos. Portanto, acho que essa é uma boa velocidade para as embarcações", comenta.


A implantação do projeto de navegabilidade pode impactar de forma positiva no tratamento do rio Capibaribe, já que será necessário fazer a dragagem dos canais e no projeto está previsto o monitoramento de qualidade das águas. (Mobilize Brasil)

Compartilhe esta notícia

últimas notícias

04 de junho de 2020

Justiça indefere pedido de lockdown no RN

Ação foi de autoria da Associação de Juristas Potiguares

04 de junho de 2020

Pós-pandemia: cidades precisam repensar a mobilidade urbana

Confira entrevista com presidente da ANTP

04 de junho de 2020

Trabalhadores do transporte têm até 30 de junho

para se vacinarem contra a gripe

MAIS NOTÍCIAS