comunicação

Notícias

28 de maio de 2020

SP realiza
relaxamento da quarentena

SP realiza

O governador de São Paulo, João Doria, anunciou de forma oficial nesta quarta-feira, 27 de maio de 2020, o plano para a retomada gradual das atividades econômicas no Estado. O anúncio foi feito ao lado do prefeito da capital paulista, Bruno Covas.

Será mantida a quarentena por 15 dias com a retomada de apenas algumas atividades. Haverá monitoramento diário dos índices de isolamento e do avanço da doença no Estado.

"Por 15 dias manteremos a quarentena, porém com uma retomada consciente de atividade econômicas no estado de São Paulo" – disse Doria na apresentação.

Nesta semana, houve reuniões entre o Governo do Estado e os prefeitos para definir critérios de abertura.

O pacote de "relaxamento da quarentena", denominado pela gestão estadual de "nova fase do Plano São Paulo", vai levar em conta para a flexibilização das regras de restrição fatores como se há ou não crescimento de novos casos e número de mortes, taxas de isolamento e percentual de ocupação de leitos.

Serão cinco indicadores e cinco fases, de forma regionalizada

Em nota, o Governo do Estado explica como estão as regiões.

Como a Grande São Paulo está na fase vermelha, nada vai mudar em 38 municípios da região até pelo menos 15 de junho. Na capital (fase laranja), haverá poucas flexibilizações, mas também não no dia 01º.

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, disse que a partir do 01º de junho a cidade vai começar a receber as propostas de cada setor para reabrir. Assim, a partir do dia 01º de junho nada vai reabrir. As alterações na rotina só vão ocorrer depois dos acordos setoriais forem aprovados e assinados pelo município.

Nenhuma das 17 regiões está na zona azul, que prevê a liberação de todas as atividades econômicas segundo protocolos sanitários definidos no Plano São Paulo (https://www.saopaulo.sp.gov.br/coronavirus/planosp). A zona verde, segunda mais ampla na escala, também não foi alcançada até o momento e permanece como meta de curto prazo para cada região.

Com exceção da capital, todos os municípios da Grande São Paulo e também da Baixada Santista e de Registro permanecem na fase vermelha e não terão nenhum tipo de mudança na quarentena em vigor desde o dia 24 de março. Nas três regiões, o sistema de saúde está pressionado por altas taxas de ocupação de UTI e avanço de casos confirmados de pacientes com coronavírus.

Nas demais fases, haverá flexibilização parcial em diferentes escalas de capacidade e horário de atendimento. A etapa laranja, que abrange a capital e outras dez regiões no interior e litoral norte, prevê retomada com restrições a comércio de rua, shoppings, escritórios, concessionárias e atividades imobiliárias. Os demais serviços não essenciais continuam fechados.

Na fase amarela, haverá reabertura total de serviços imobiliários, escritórios e concessionárias segundo protocolos sanitários. Comércio de rua, shoppings e salões de beleza, além de bares, restaurantes e similares poderão funcionar com restrições de horário e fluxo de clientes.

As regiões que chegarem à fase verde poderão atenuar as restrições ao funcionamento de todos os setores da fase amarela. Academias de ginástica e centros de prática esportiva também voltarão a receber frequentadores, desde que respeitados limites de redução de atendimento e as regras sanitárias definidas para o setor.

Questionado sobre o fato de a capital estar numa fase um pouco mais branda que a capital, o prefeito Bruno Covas disse que a situação na cidade está estruturada, inclusive para atender pacientes de cidades vizinhas.

Fonte: Diário do Transporte

Compartilhe esta notícia

últimas notícias

15 de julho de 2020

Governo edita decreto ampliando prazo para suspensão

de contratos de trabalho e redução da jornada

15 de julho de 2020

À espera de socorro - Transporte de passageiros

precisa da atuação imediata do Estado para equilibrar perdas na pandemia

15 de julho de 2020

Manifesto pela criação do Sistema Único

de Mobilidade Urbana - SUM

MAIS NOTÍCIAS