comunicação

Notícias

30 de março de 2021

Transporte coletivo
de JP tem prejuízo

Transporte coletivo

Levantamento da Associação Nacional das Empresas de Transporte Urbano (NTU) aponta que João Pessoa foi a capital onde o setor de transporte coletivo urbano foi o mais afetado em todo o país. Foram 106 dias paralisados, entre 21 de março e 6 de julho de 2020, o que gerou prejuízo para as empresas.

Segundo o diretor institucional do Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros no Município de João Pessoa (Sintur-JP), Isaac Júnior Moreira, a situação do sistema está crítica. 

“Como qualquer outra atividade econômica, o sistema de transporte coletivo de passageiros também sente, de forma ainda mais acentuada, os reflexos de medidas restritivas. Compreendemos a sua necessidade, mas, por outro lado,  temos de ter, por parte do poder público municipal, sensibilidade para que um serviço tão essencial ao dia a dia da cidade, não seja comprometido, uma vez que servimos de forma indispensável a outros setores básicos da economia”, afirmou Isaac.

 A tarifa de ônibus consiste na soma de todos os custos da operação divididos pelo número de passageiros pagantes, sendo a única receita do setor. O valor da tarifa praticado hoje é de R$ 4,15 em dinheiro e R$ 4 com o cartão Passe Legal (bilhetagem eletrônica). A revisão anual desses valores ainda não aconteceu na Capital. 

De acordo com dados da NTU, em João Pessoa a quantidade de passageiros transportados (demanda) chegou a cair 48%. A situação foi verificada no dia 12 de março deste ano e foi publicada, junto com a situação das demais capitais do país, no estudo “Impactos da Covid-19 no Transporte Público por Ônibus”, encomendado pela NTU. 

A partir da próxima segunda-feira (29) até o dia 4 de abril, o sistema de transporte coletivo reduzirá novamente a oferta de linhas. Isso acontece devido à medida provisória nº 295, do governo estadual, que antecipa os feriados de Tiradentes, Corpus Christi e da Fundação da Paraíba. Nesse período, o transporte público vai operar com frota reduzida, com oferta de 35 linhas.

Estudo da NTU mostra “raio-x” do sistema de transporte público (ônibus urbano) no país

Dados nacionais revelados pela NTU no estudo “Impactos da Covid-19 no Transporte Público por Ônibus” revelam que o prejuízo real acumulado pelas operadoras no Brasil, no período de 16 de março de 2020 até 28 de fevereiro de 2021, foi de R$ 11,75 bilhões. A quantidade de viagens realizadas por passageiros (demanda) chegou a cair 80% nas primeiras semanas da crise. Em fevereiro de 2021, a redução média verificada foi de 40,8%. 

Em todo o país, de janeiro a dezembro de 2020, o saldo entre admissões e desligamentos do setor de transporte rodoviário de passageiros foi de 43.039 admissões e 109.096 desligamentos, segundo dados do Painel do Emprego da Confederação Nacional do Transporte (CNT).

Para amenizar a situação e socorrer o setor de transporte coletivo, as medidas adotadas pelo poder público para redução dos prejuízos, destacam-se em: 26 anúncios de subsídios; quatro iniciativas de desoneração tributária; e nove deliberações para compras antecipadas de crédito eletrônico. 

Portal Correio

Compartilhe esta notícia

últimas notícias

15 de abril de 2021

Empresas estão na UTI

Artigo de Francisco Christovam, conselheiro da NTU

14 de abril de 2021

Motoristas e cobradores do Grande Recife pedem

prioridade na vacinação contra a Covid

14 de abril de 2021

Presidente da CNT tem reunião com Jair Bolsonaro

Encontro debateu questões de interesse do setor empresarial

MAIS NOTÍCIAS