comunicação

Notícias

08 de dezembro de 2016

Vencedores do 23º
Prêmio CNT de Jornalismo

Vencedores do 23º

Foram entregues, na noite dessa quarta-feira (7), os troféus das sete categorias do Prêmio CNT de Jornalismo. Na 23 edição, esse é um dos mais respeitados e concorridos prêmios voltados à imprensa do Brasil. O reconhecimento é dado às melhores reportagens a que abordam temas relacionados ao transporte. Ao todo, foram entregues R$ 270 mil reais aos premiados.

O vencedor do Grande Prêmio foi o jornalista Marcos Nunes, do Jornal Extra, com o trabalho "O trem atrasou". A reportagem viajou diariamente, por três meses, pela malha ferroviária que corta o Rio de Janeiro e outros 11 municípios. A série mostra problemas constatados nas vésperas da maioridade do contrato de concessão entre o Estado do Rio de Janeiro e a SuperVia, operadora da malha. "Estou muito satisfeito, ter a oportunidade de dividir este espaço com grandes nomes da imprensa, é um marco na minha carreira", disse o jornalista

Na categoria Fotografia, o premiado foi Domingos Peixoto, do Jornal O Globo. Tetracampeão no Prêmio CNT, neste ano ele venceu com o trabalho intitulado "O trem nosso de cada dia", que registra o momento de embarque em um trem do Rio de Janeiro ao fim do dia, momento da volta para casa.

Em Impresso, a vencedora foi Anamaria Melo do Nascimento, com uma reportagem que mostrou bons exemplos para a mobilidade, com o título "Sou do bem no trânsito", veiculada pelo Diário de Pernambuco.

O especial "Avisa quando chegar. O assédio que paralisa as mulheres", da jornalista Leilane Menezes, veiculado no portal Metrópoles, foi o vencedor na categoria internet. A série mostra como a violência e o assédio afetam as mulheres que utilizam o transporte público.

"As vantagens e as desvantagens do biodiesel", do jornalista André Trigueiro, da GloboNews, foi vitoriosa na categoria Meio Ambiente e Transporte. A reportagem revela estudo inédito sobre os benefícios da mistura do biodiesel ao diesel para a saúde das pessoas e para as contas públicas.

Na categoria Rádio, a vencedora foi Natália André, da Rádio Trânsito, com a série "Mulheres no trânsito", que mostra personagens femininas em diferentes atuações do transporte.

Por fim, na categoria Televisão, venceu a reportagem "Dois anos depois da Copa, obras de transporte inacabadas revelam desperdício de dinheiro público", veiculada no programa Fantástico, da TV Globo, de Nancy Dutra. A reportagem mostra projetos que não saíram do papel em todo o Brasil, apesar de terem sido planejados para a Copa do Mundo de 2014.

A seleção dos vencedoras é rigorosa e se dá em três etapas: na primeira, é verificado o cumprimento dos requisitos exigidos em regulamento pelos inscritos; na segunda, uma comissão de pré-selecionadores, formada por professores de comunicação define os cinco finalistas em cada categoria; por fim, a avaliação de um grupo de jurados, composto por quatro jornalistas e um especialista em transporte seleciona as reportagens vencedoras.

Nesse processo, são observados a relevância do tema abordadado para o setor, para o transportador e para a sociedade; a qualidade editorial; a criatividade e a originalidade; a temporalidade e a atualidade dos conteúdos. Este ano, o júri foi composto dos jornalistas Celso Freitas (Record), Marcelo de Moraes (O Estado de S.Paulo), Sheila Magalhães (BandNews) e Iain Semple (Rede Globo), e pelo especialista em transporte Luis Antonio Lindau (WRI Brasil).

A cerimônia, realizada no CICB (Centro Internacional de Convenções do Brasil) reuniu jornalistas de diversos veículos de comunicação e representantes do setor.

Natália Pianegonda
Agência CNT de Notícias

Compartilhe esta notícia

últimas notícias

15 de abril de 2021

Empresas estão na UTI

Artigo de Francisco Christovam, conselheiro da NTU

14 de abril de 2021

Motoristas e cobradores do Grande Recife pedem

prioridade na vacinação contra a Covid

14 de abril de 2021

Presidente da CNT tem reunião com Jair Bolsonaro

Encontro debateu questões de interesse do setor empresarial

MAIS NOTÍCIAS